Correr em Oslo

| 1 Comentário

Decididamente, eu adoro Oslo. É uma cidade fantástica.

Mas não é uma cidade boa para correr.

A cidade tem excelentes passeios (parece-me que usam asfalto nos passeios, o que diminui o impacto das pisadas), e os motoristas são compreensivos com quem está praticando o esporte. Porém, a cidade não é plana, portanto correr é sempre um desafio.

Pra quem tinha o privilégio de correr em uma avenida plana com 5km de extensão (uma volta completa dava 10km), praticamente toda plana, correr aqui significa mudar o treinamento e se contentar com velocidades menores.

Me recomendaram correr na beira de um lago chamado Søgnsvann. Aí acordei às 6 da manhã de domingo (!), peguei o primeiro metrô e lá fui eu correr no lago. Lá, igualmente, também o percurso era enladeirado. Aí fui procurando rotas alternativas, me perdi no meio de uma floresta (quer dizer, me perdi em termos – estava na rua, só não sabia onde ia parar). Resolvi pegar uma trilha que uma placa indicava iria até a estação do metrô. Só que, por causa das chuvas, estava intransitável – o que pisei em poça de lama foi uma barbaridade…

Voltei para a estrada que passava na floresta e, depois de um tempo enorme, saí na rua de um bairro que eu sabia onde ficava (Kjelsås) mas não consegui também encontrar o caminho de casa. Como ainda tinha uns 18km para correr, fui passando pelas ruas, até que encontrei o bairro de Storo, e aí cheguei fácil ao estádio de Bislett, onde queria terminar meu percurso, correndo na pista de atletismo.

Ocorre que o dito estádio estava fechado, então corri umas 6 vezes em volta dele, e voltei para Grünerløkka.

Primeiro trecho da corrida

 

 

Segundo trecho da corrida

Os meus tempos aqui estão pelo menos 20s/km mais lentos que no Brasil, mas isso se deve mesmo às ladeiras. Espero que o percurso da maratona seja plano, porque se não for…

Também faz falta o açaí depois dos 31km, a reunião com os Pedinhas, enfim, todo o ritual das corridas de fim de semana. Tirando a família, os amigos e o Sushi, o que me faz muita falta é a corrida despreocupada na Av. Olívia Flores-UESB, sozinho ou com os amigos. Juntei-me ao clube de corrida da Faculdade, e conheci muita gente legal, mas, como ocorre em clubes desse tipo, são muitos níveis de praticantes, com objetivos diversos. Na quarta, por exemplo, fomos treinar tiros. Odeio tiros, com todas as minhas forças. O pessoal daqui é muito bom de treinos intervalados. Mas poucos estão treinando para longas distâncias. Não sei ainda como vou fazer no inverno para manter a prática da corrida, e o inverno, ao que parece, está chegando. Os dias já estão ficando mais curtos, a temperatura está caindo, e, nossa, como tem chovido!

Ontem comprei sapatos mais resistentes à chuva, a propósito. Eu sou muito estranho: acho que passo 90% do meu tempo usando tênis, e agora, ao usar um sapato “normal”, pareço que estou pisando em uma tábua. Enfim, coisas de um reclamão como eu… 🙂

De resto, devo dizer que continuo adorando tudo isso aqui. Amanhã terei a primeira aula. Agora é estudar, estudar, e estudar.

Autor: oculos

the guy who writes here... :D

FireStats icon Produzido pelo FireStats